Introduzindo Alimentação Natural

A introdução da alimentação natural deve ser feita como qualquer outra alteração de dieta.
Com amor, dedicação e paciência o seu melhor amigo terá o que há de melhor.

Nós recomendamos que se faça a introdução para AN Pet’s Kitchen de forma gradativa levando pelo menos uma semana para migrar seu cão ou gato da ração para a nova dieta, assim como se faz com mudanças de ração.

A mudança alimentar brusca pode causar diarreia ou gastrite (vômitos) em alguns animais. Há uma boa explicação pra isso. Todo o trato digestório do pet está programado para processar um tipo de combustível (ração), com seu pH próprio, ingredientes, textura e, quando fornecemos outro tipo de combustível (AN) completamente diferente, podemos ter alguns contra tempos mesmo, é normal!

Vá misturando a AN à ração, de modo a ir aumentando progressivamente a quantidade de comida na tigela do pet e reduzindo a quantidade de ração. Lá pelo sétimo dia você servirá somente Alimentação Natural.

No primeiro dia, misture um pouco dessa comida à ração, lambuzando bem os grãos. No dia seguinte, aumente a quantidade de comida e comece a reduzir a de ração.

Se achar que seu pet se beneficiaria de uma mudança ainda mais lenta, leve dez ou quinze dias. Não há problema algum. Se as fezes ficarem um pouco amolecidas, espere alguns dias e veja se firmaram. É preciso dar um desconto para o intestino durante essa fase de adaptação.

Cães com aversão à ração geralmente catam os alimentos caseiros do prato e deixam a ração.

Se achar que seu pet precisa de um suporte intestinal, consulte seu veterinário, existem bisnagas de pasta probiótica que preparam e adaptam o intestino mais rapidamente à mudança dietética e os cães costumam gostar dela.

Após migrar seu pet para a AN com sucesso, será só alegria, saúde e longevidade para o seu companheiro!

 

Obs: uma parcela pequena dos cães pode apresentar sintomas de “desintoxicação” nos 7 a 15 dias de introdução da AN. Os sinais mais comumente relatados são ouvidos sujos, secreção nos olhos, acne, queda de pelos intensa, mau cheiro corporal e muco nas fezes. São os mecanismos de depuração do corpo em ação, expulsando as toxinas. Não são sintomas graves, nem duradouros e não chegam a incomodar o animal. Mas, se persistirem por mais tempo, consulte seu veterinário.